Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Sporting é a paixão que nos inspira. Não confundimos competência com cultos de personalidade. 110 anos de história de um clube que resiste a tudo e que merece o melhor e os melhores de todos nós. Sporting Sempre


03
Mai17

A Liga dos pirómanos

por Krassimir

BOLA EM CHAMAS.png

 

A poucas jornadas de o Benfica celebrar  – ao que tudo indica – um inédito tetra vão-se multiplicando os sinais de completo desnorte, despudor e falta de bom senso que os dirigentes dos principais clubes vão fazendo questão de demonstrar ad nauseam.
Dentro de campo, o nível de futebol praticado tem sido na maioria dos jogos bastante pobre. O líder do campeonato, lá vai conseguindo ganhar jogando de forma medíocre, sem chama, mas no final os 3 pontos é que interessam, como se viu no último jogo com o Estoril.
O Sporting ganhou em Braga, merecidamente, mas ainda assim com sobressaltos, que só a eficácia de Dost e a irreverência de Podence conseguiram ultrapassar.
O Porto consegue manter a ilusão mais algum tempo, derrotando um adversário (Chaves) que já lhe causou amargos de boca nesta época, mas está muito longe de convencer.
Mas é fora do campo que o “espectáculo”, representado por um outro campeonato de baixaria e de guerra aberta, continua a todos os títulos deprimente.
LFV, com a pose e o cinismo habituais, descarta responsabilidades e decide avançar com propostas, em que se destaca a penalização com a retirada de pontos aos responsáveis de clubes que ousem criticar a arbitragem. Claro, que quem tem uma rede bem montada de comentadores e paineleiros não precisa de falar mal da arbitragem na primeira pessoa, como já fez várias vezes no passado. Aliás, quem neste momento sente que não tem propriamente a hostilidade dos homens do apito – apenas para usar um eufemismo - conviverá bem com este tipo de regras. Mas não me parece que isto tenha pernas para andar. Em primeiro lugar, porque qualquer profissional está sujeito a críticas, seja na política, no desporto ou em qualquer ramo de actividade. Era o que mais faltava que não se pudesse criticar o trabalho de um árbitro ou de qualquer outro profissional... A lei do silêncio, ou censura nunca será resposta, o que não invalida que algo tenha de se fazer para pôr cobro a este deplorável estado de coisas. Além disso, os clubes que têm milhões de adeptos não devem ser penalizados pelo destempero verbal dos seus dirigentes. E por último não me parece provável que esta proposta colha o apoio dos clubes em geral, para além da boa receptividade que pelos vistos a directora-executiva da Liga, Sonia Carneiro, lhe atribuiu.
O Sporting avança com o pedido de penalização aos comentadores televisivos pelas suas declarações. Aqui será complicado porque também estamos no domínio da livre expressão individual, sendo muitas vezes difícil demonstrar a responsabilidade dos clubes no discurso destes personagens, embora ela seja infelizmente uma realidade. Ao mesmo tempo pede uma cimeira, com vários agentes, desde presidentes de clubes, a dirigentes federativos, passando por governantes e diretores de canais de TV.
E isto tudo ainda antes de terminar a época... dando um tal espectáculo, que até o El Pais LINK, através de um artigo do seu correspondente em Lisboa, já publicou uma notícia a denunciar os presidentes do Sporting e do Benfica, como incendiários.
Então o que fazer? Tal como dois meninos mal-comportados, ou estes dois senhores e respetivos acólitos, tomam juízo, ou alguém tem de os colocar de castigo... Está na hora dos governantes começarem a endurecer a legislação, a pressionar a Federação e a Liga para tomarem medidas. Tem de se acabar com o clima belicista, de autêntico far-west que impera no futebol português.
Os canais de TV e os directores de jornais, sobretudo os desportivos, mas também outros, têm de ser chamados à responsabilidade, quando em vez de contribuírem para serenar os ânimos, são também grandes culpados por esta completa vergonha.
Mas não podem ser os réus de toda esta situação a arvorarem-se o direito e a legitimidade de assumirem a bandeira do pacifismo e da regeneração do futebol. Não podem ser os mesmos a atirarem pedras, esconderem a mão e depois pedirem penas para quem agride. Isto não faz sentido nenhum... 
O tempo e a capital de credibilidade dos (destes) dirigentes desportivos para apagar o incêndio que eles próprios atearam e estimularam está a acabar. Neste momento, é complicadíssimo que sejam levados a sério, mesmo que apresentem propostas positivas. 
Que outros se cheguem à frente e coloquem termo a isto. Para bem da sanidade de quem quer continuar a fazer do futebol português uma festa e um espectáculo em que vale a pena investir tempo e dinheiro.

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Anonymous a 03.05.2017 às 16:04

Não percebo esta falta de coerência.
Por um lado acusam Vieira de cinismo e que descarta responsabilidades, quando é ele que decide avançar com propostas que, por coincidência, estão em consonância com as exigências dos árbitros para continuarem a arbitrar. Será que os árbitros também são cínicos?

O que tem a rede do SLB, igual à rede que o SCP e FCP têm, o FCP até tem um blogue, Dragões Diário, e um programa na TV do clube, comandado pelo próprio director de comunicação, em que falam e atacam apenas os árbitros (isto é que é cinismo) a ver com o assunto?

Confundem silêncio e respeito pela profissão dos árbitros, que possuem um sistema de controle interno, com censura.

Censura é a sugestão do presidente do SCP quando quer calar comentadores nas TV públicas quanto a única responsabilidade da sua existência é das próprias TV´s e não dos clubes.
Quando tem dentro de casa, na sua própria TV gente que incentiva à morte de adeptos adversários. Os outros é que são cínicos e hipócritas?

No fim, apela ao governo para pressionar a FPF e a Liga, a mesmo coisa que Vieira e os árbitros pedem. Mas agora isso já não é cínico nem hipócrita?

Falem em falta de coerência e total desnorte.
Imagem de perfil

De Krassimir a 04.05.2017 às 10:35

Vem falar em falta de coerência e vem defender Vieira? A sério?! O mesmo homem que há uns anos entregava DVD e reclamava por uma arbitragem não corrupta? Nessa altura era aceitável criticar e agora já pode determinar penalização? O mesmo que quando perde critica e cujo treinador já disse que não queria ser comido de cebolada? Que manda os seus comentadores atacar os rivais, ao mesmo tempo que publicamente diz “não lhes vamos responder”? O sistema de controlo dos árbitros interno funciona? Com observadores que ninguém conhece e que os avaliam da forma que se sabe na sombra? Será coincidência a nível internacional a nossa arbitragem estar cada vez mais desprestigiada?
Fala-me do Dolbeth que incentiva a morte de adversários… não me revejo minimamente nele, embora não tenha sido exactamente isso que fez. Mas por outro lado, no seu clube há pessoas que falam em folclore quando se critica atirarem-se tochas para cima de adeptos. Que assobiam para o ar perante a violência e só falam quando são “obrigados”… e já agora… quem provocou 2 mortes até agora? Foi o Sporting ou os seus adeptos? Não quero que ocorra mais nenhuma. E para isso era bom que a condenação destes actos fosse clara e inequívoca por parte de todos e que parasse de vez este clima, como já defendi em outros posts.
Quanto à APAF, fez uma proposta que inclui o silencio e penalização dos comentadores de clube, embora ache isso difícil de ser implementado. Também é isto que Vieira e Carlos Janela pedem?
Era bom é que acabasse esta fantochada em que se tornou o futebol português. Que não tem inocentes, mas tem uns muuuuiiito culpados.

Comentar post




Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D