Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Sporting é a paixão que nos inspira. Não confundimos competência com cultos de personalidade. 110 anos de história de um clube que resiste a tudo e que merece o melhor e os melhores de todos nós. Sporting Sempre

18
Jan17

20170118.jpg

 

Os mais atentos ao blog já devem ter reparado que a análise aos jogos vem do A14. Hoje, para não variar, toca-me outra vez. Mas a coisa foi tão má que vai ser dificil analisar algo. Foi mau de mais! Muita cabeça quente, pouco discernimento, um remate do Gélson e outro do Coates e, da primeira parte estamos conversados. Na segunda metade, um bocadinho mais de controlo no jogo mas, coitados, levámos uma bisnaga para um luta de drones.

 

Ficou bem à vista de todos, os que os alguns já vinham notando desde as declarações de Jesus na antevisão da deslocação em Rio Ave. Aí perdemos o jogo. Aí, foi lançada a segunda pedra nesta obra do Perder a Época. A primeira tinha sido o mau planeamento, esta segunda foi o treinador perder o balneário. Só isso explica que o nosso futebol hoje seja tão previsível, só jogamos pelas linhas. E com maus laterais, só jogar pelas linhas...? E com bons médios centro, só jogar pelas linhas...?! Um treinador adversário, hoje, vê um vídeo de 30 segundos e tem o jogo contra o Sporting estudado!

 

Está à vista o resultado da berraria no balneário, dos ataques das caixas de ressonância, da soberba, do investimento record, do apoio a Proença, da comissão de desonra, da perseguição a sócios, e do cúmulo dos cúmulos, do presidente a mandar um jogador aquecer e dar-lhe indicações táticas!!!!

 

Dia 17-01-2017 a época acabou!

 

No Rumo Certíssimo!!!

 

SL

Autoria e outros dados (tags, etc)


editado por Ivaylo a 25/2/17 às 12:10

16
Jan17

Revolta na Bounty

por Krassimir

1.jpg

 

A época actual do Sporting tem sido uma grande desilusão para todos os sportinguistas. Mesmo os que insistem sempre em ver o lado bom das coisas, têm dificuldade em conseguir apontar algo de positivo no que diz respeito à carreira da equipa de futebol. Os únicos momentos que nos deram algum alento foram a vitória sobre o Porto, num jogo dividido e a exibição em Madrid, jogo que ainda assim acabou de forma inglória, com dois golos que ditaram a nossa derrota nos últimos minutos. Não me recordo de mais nenhum jogo que evocasse, ainda que vagamente, os momentos de bom futebol, em alguns casos de excelência, que tivemos na época passada.

 

Na verdade, no resto dos jogos, os sportinguistas têm saído invariavelmente vergados ao peso de derrotas e empates ou então com grande testes à saúde das suas coronárias com vitórias tangenciais e sofridas. Esta tem sido a nossa sina esta época.

 

Já muito se discutiu sobre os motivos deste descalabro. Entre eles contam-se mau planeamento da pré-época, aquisições desastrosas, com jogadores que em nada são superiores aos jovens da nossa formação - entretanto emprestados a outras equipas - e por outro lado, não se terem colmatado as principais lacunas da equipa, como era o caso dos defesas laterais. Também não se encontraram substitutos à altura para Adrien e William, os esteios da equipa, o que seria necessário, tendo em conta o número de competições em que o Sporting está envolvido (infelizmente cada vez menos) e os castigos e lesões que sempre aparecem. Salvaram-se Dost e Campbell (emprestado), pois quanto ao resto... enfim.


Isso levou a que o treinador tivesse colhido maus resultados sempre que rodou demasiado a equipa, acabando por ficar limitado a um núcleo duro de pouco mais que 13-14 jogadores, com o consequente desgaste físico dos utilizados. Na altura da época mais crítica como foi o caso dos meses de Novembro e sobretudo Dezembro, a equipa teria mesmo de se ressentir dessa sobrecarga. O caso da derrota com o Braga parece ter sido um dos exemplos em que isso foi mais nítido, mas existiram mais.


Aliado a isso, tivemos o efeito psicológico negativo que sempre acompanha os maus resultados e ciclos negativos. Claro, que também existiram alguns erros de arbitragem, como o caso do jogo da Luz, mas já antes a equipa havia dado provas de fraqueza exibicional, com empates com Tondela em casa, Guimarães, Nacional (aqui também com erro de arbitragem, mas com exibição medíocre) e derrotas com Rio Ave e Legia. Portanto, não vale a pena insistir que os árbitros são os culpados de todos os males. Já se percebeu, tirando alguns casos graves de acefalia em alguns adeptos, que isso não justifica tudo o que de mau nos tem acontecido.

 

Por tudo isto, o clima no balneário não será certamente o melhor. Rumores de jogadores castigados e de outros a quererem sair e a cobrarem promessas que lhes terão sido feitas nesse sentido pelo presidente, vão surgindo à superfície. Parece demasiado fumo para não existir fumo.


Mas no sábado em Chaves e depois de mais um mau resultado, não aproveitando o deslize inesperado do Benfica, a situação terá conhecido contornos inimagináveis!


Depois de terem sofrido o empate a 3 minutos do fim do jogo, no corolário de mais um má exibição, os jogadores tinham à espera no balneário o presidente Bruno de Carvalho, o qual estava aparentemente descontrolado, falando alto, tal como relata o jornal “O Jogo”. Parece que colocou em causa o profissionalismo dos atletas, tendo-lhes chamado chulos, o que motivou a sua justa reação, sobretudo de William e de Adrien, mas também de Dost. Ora isto é muito grave e sintomático do desnorte em que este presidente mergulhou e com graves consequências para a instituição. Já não bastavam as inúmeras infelicidades que vai evidenciando no seu discurso e nos seus posts, agora volta-se contra os seus próprios jogadores? Aqueles de que em última análise depende a alegria ou tristeza dos sportinguistas?!

 

Não está em causa o direito que o presidente tem de cobrar rendimento e aplicação aos jogadores e resultados ao treinador. Mas será que após um jogo e a quente, falar aos jogadores da forma alterada, insultuosa e desrespeitosa levará a algum resultado positivo? Serão os jogadores culpados do mau planeamento da época ou de não terem muitos colegas com nível suficiente para poderem rodar e assim poderem estar em melhores condições físicas? Ou passaram de bestiais a bestas num ápice? Como reage alguém a quem insultam e põe em causa o seu profissionalismo? Não teria sido melhor fazer uma reflexão e conversar com eles no dia seguinte, quando todos estariam mais calmos e aptos a captar melhor a mensagem, que deveria ser ao mesmo tempo de crítica e de motivação? Ou estar aos berros de forma que foi audível até para os elementos da equipa adversária eram a melhor solução? E depois sujeitou-se à humilhação de ser convidado a deixar o balneário e depois o autocarro da equipa. Ninguém o respeita mais.

 

Bruno de Carvalho errou mais uma vez. A sua autoridade e o respeito que lhe é devido vão-se esfumando. Primeiro, perdeu a consideração dos vários agentes do futebol português, desde dirigentes de clubes adversários, empresários, jornalistas, etc. Agora quer perder também a dos seus próprios jogadores e treinador. Isto parece refletir um presidente excessivamente preocupado com as eleições que se aproximam. Ora os sportinguistas querem é que a equipa jogue bem e que ganhe os jogos. Estamos fartos de ser enxavalhados e de nos dizerem que temos de ser campeões e depois nos presentearem com estes tiros nos pés. De dizerem que incomodamos e depois vermos qualquer equipa média no nosso campeonato a jogar connosco como se fossem o Barcelona e a sermos nós os verdadeiramente incomodados.

 

No domingo, depois de uma sessão de selfies e autógrafos de limpeza da imagem, pudemos assistir a uma intervenção dos jogadores Adrien e William na qual foi visível o incómodo e em que a sua expressão foi bem mais eloquente que as suas palavras. E mesmo nestas, confirmaram a presença do presidente e a existência de diálogo no balneário (afinal os jornais nem sempre inventam) “como lhe era permitido” tal como referiu Adrien. Ficou a promessa de tudo fazerem para as coisas melhorarem.


Registamos e pedimos encarecidamente que isso aconteça e já no jogo da Taça na terça-feira. Única competição que ainda poderemos vencer. No campeonato já vimos que até o terceiro lugar será difícil. E seria bom que além dos jogadores, todos os elementos com responsabilidade no clube também fizessem o que se espera deles e ajudassem a tirar o Sporting desta péssima situação. É que estar a lutar com Braga e Guimarães por uma posição faz lembrar tempos que nos prometeram não se iriam repetir. E isso sobretudo na época em que se faz o maior investimento de sempre...

Autoria e outros dados (tags, etc)


editado por Ivaylo a 25/2/17 às 12:10

20170115 (1).jpg

 

Circo mais uma vez, melhor, circos. Um dentro de campo, outro no balneário e outro ainda que se estendeu das imediações do estádio ao hotel para acabar no núcleo de Vila Real.

 

Vamos ao primeiro, aquele que todos vimos e não há diz-que-disse.

 

Entrar com Bruno César na lateral esquerda, contra equipas arrumadas e em sua casa, é suicídio. O golo foi aos quatro minutos mas antes já tinha passado uma diagonal nas costas do mencionado para morrer nos pés de Coates que sem oposição, aliviou para fora. À segunda foi o que foi. Na frente muito pouco futebol, Alan a ser Alan, Campbell sem perceber onde tinha de estar e Gelson a tentar a tentar mas tirando o cruzamento para o golo, pouco fez. Sendo isto um jogo de equipa, sozinho é complicado. Dost aquele que não presta, tem 13 golos no campeonato. Isto sem quase volume de jogo nenhum.


Segunda parte, trocamos Ruiz por Ruiz (qual dos dois o que tem menos vontade jogar à bola) e sai Campbell para entrar o Balada que, coitado, nem na B era titular. Ligeira melhoria que foi suficiente para ficar em vantagem, uma vez mais pelo inevitável Dost que pelas mais variadas razões é o único que assusta e fixa defesas. Pois, tirá-lo no fim do jogo é capaz de não ser boa ideia mas para ele ficar tinha que se admitir o erro que foi a entrada de André e como já nós bem sabemos, o mestre não erra. Só os outros.

 

Segundo circo, no balneário, Bruno aos berros no balneário, William e Adrien a não gostarem do tom e a fazerem um conjunto de ameaças. No Rumo Certo portanto.

 

Terceiro circo, contestação à saída do estádio e no hotel onde está hospedada a equipa e alguém está de fim-de-semana romântico, resolvido com uns copos pagos no núcleo de Vila Real. Não confundir com tachos nem nada disso. O Sportinguista é incorruptível. Ou não.


Para terminar, não percebo o porquê desta contestação agora, já há meses que tinha identificado vários problemas que só podiam ter um resultado: este que estamos a ver agora.

 

SL

Autoria e outros dados (tags, etc)


editado por Ivaylo a 25/2/17 às 12:10

img_770x433$2016_03_27_00_20_25_1081601.jpg

 

 

A preocupação com o rumo que o Sporting está a tomar começa a ganhar cada vez mais expressão. 

 

São cada vez mais os Sócios anónimos e figuras publicas que expressam o seu desagrado.

Em poucas palavras, apenas partilhamos um desabafo de um grande atleta da nossa Seleção Nacional de Rugby, Gonçalo Uva, no seu perfil do Facebook, e que anda a circular pelas redes sociais.

Este é só e somente só, mais um entre tantos e muitos desabafos com o mesmo contexto.


Gonçalo Uva

5/1

às 20:33

 

"Isto não é o Sporting.

Desculpem, mas isto não é o Sporting que eu conheci e me fez ter um amor inexplicável ao clube. Não é o Sporting que me fez e faz mudar a minha vida toda, tanta vez, para ter tempo para ir ver um jogo ao estádio. Não é o Sporting pelo qual eu fui motivado a passar jogos de pé na claque sem estar calado um segundo porque sabia que os jogadores iriam dar tudo em campo para dar a vitória aos adeptos que nunca lhes falharam. Se soubessem o que o símbolo, que carregam ao peito todos os jogos, significa para nós, morriam em campo para nos dar a vitória. E é isso que falta.

 

Faltam jogadores em campo dispostos a entrar e deixar tudo em campo. Ponham os olhos em jogadores como liedson, slimani, gelson, que por mais que levem pancada, por mais que sejam empurrados, por mais que sejam rasteirados e agredidos, mostram a garra de um verdadeiro jogador do Sporting e procuram sempre que possível ir buscar a bola em vez de tentar ganhar a falta.

 

E sr. Presidente, sabemos todos admitir que foi uma excelente jogada ter roubado o treinador ao clube do outro lado da estrada, e que andar uma época inteira a mandar bocas e criar confrontos foi muito engraçado, mas chega... está na hora de abrir os olhos!

 

Fomos eliminados da liga dos campeões, da taça da liga, estamos a oito pontos do primeiro lugar.

 

O que é isto?

 

Como é que um treinador está a perder no estádio da Luz, precisa de marcar pelo menos um golo e tira o melhor avançado que tem em campo para por o André? Como é que um treinador está a perder em casa com o Braga e vai tirar o Bryan Ruiz para por o André? Jesus... Jesus! até a minha avó de muletas tinha marcado os dois golos que esse 'jogador' desperdiçou ontem. Ah, mas numa coisa tens razão... a minha avó não marcou dois golos contra o praiense e por isso não merece entrar em alturas decisivas de jogos importantes. Desculpa, erro meu. ACORDA! E questiono-me porque é que não deixaste o Jefferson 'tratar' do árbitro, ontem no final do jogo com o Setúbal. Se só o metes em campo de três em três meses quase, pra ti nao havia problema de ele ficar mais uns quantos sem jogar. Para não falar de outros 'jogadores'...porque até o Ruben Semedo lesionado joga mais que dois Douglas juntos. Será que é preciso colocar nomes como 'Real Madrid' ou 'Dortmund' às equipas contra quem jogamos para os jogadores se esforçarem? Porque foi, contra esses dois clubes, as poucas prestações dignas de Sporting que eu vi esta época.

 

E mais uma vez sr. Presidente, se é assim tão revolucionário, pense em revolucionar a mentalidade dos jogadores e treinadores sportinguistas, para se preocuparem mais em honrar a camisola deste grande clube, jogando e dirigindo com garra, mostrando do que é feito o Sporting Clube de Portugal e menos com constantes queixas pelos erros da arbitragem. Porque o Sporting que eu conheço, num jogo em que precisa só de um empate, nunca joga para empatar. O Sporting que eu conheço entra em campo para ganhar, seja contra um clube de topo mundial ou um clube da quarta divisão distrital. O Sporting que eu conheço no jogo de ontem tinha ido para os balneários a ganhar e voltado com a mentalidade que iam marcar ainda mais. E assim? Até poderia haver um penalti, dois, ou até três, que por muito que fossemos prejudicados, ganharíamos na mesma. Agora, estar a perder com o Setúbal ao intervalo, com o maior respeito ao clube, e dar-se ao luxo de jogar para o empate, desculpem mas isto não é o Sporting que eu conheço e que pelo qual o mundo sabe que sou doente.

 

Se a arbitragem esteve mal? Esteve. Se fomos prejudicados? Fomos. Se tivemos culpa? Sim. A culpa é inteiramente do Sporting. É preciso não ter medo de o admitir e saber dizer que não jogámos bem e que o futebol do Sporting é muito superior àquele que foi mostrado em campo ontem. Como em 1906 José Alvalade disse 'Queremos que o Sporting seja um grande Clube, tão grande quanto os maiores da Europa', só peço que lutem para honrar essa frase e esse símbolo que têm ao peito. Saudações leoninas."

 

16111264_1345906352147079_144454712_n.png

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


editado por Ivaylo a 25/2/17 às 12:13

10
Jan17

1.jpg

 

 

Afinal José Eduardo Bettencourt não cometeu qualquer “crime” durante a sua gestão. Como não cometeram quaisquer imprudência os três sócios processados, os jornalistas, enfim, tanta gente que foi parar à vara da Justiça processada por um lunático que tinha um único objetivo: criar a ideia de salvador de uma casa que não estava a necessitar da sua ajuda. E agora paga o Sporting a diarreia mental de um louco.

Hoje, é evidente que vivemos uma grande mentira. Desde as contratações falhadas às centenas, desde as dispensas desses mesmos jogadores a custo zero, os despedimentos de funcionários, o caso Marco Silva, a paranoia da Doyen, enfim, tantos são os casos que um Clube Empresa da dimensão do Sporting não se pode rebaixar ao nível do pato bravo com a carrinha da obra bloqueada no parque de estacionamento.

E esta é a verdade dos factos, hoje continuamos a não vencer como no passado recente, ou melhor, vencemos ainda menos, mas temos mais gastos, menos qualidade na formação, um treinador no top dos mais bem pagos do mundo, um plantel deficitário, um aumentar do passivo galopante, e claro, um Clube dividido, fraturado, descontente, desconfiado, e num autentico clima de guerra civil.

As eleições serão em Março, até lá o circo será digno de uma avaliação sem precedentes. Depois da birra com o Setúbal, agora estamos a cavar a eterna birra com a arbitragem, pena que se lute no conforto do sofá e nas redes sociais, e que nos órgãos de decisão continuemos a ser gozados e sem qualquer voz credível que se faça ouvir. Curioso que, Dias Ferreira, sempre gritou bem alto que era nesses locais que o Sporting deveria ganhar poder. Pois é aí que se ganham campeonatos. Curioso que hoje estamos ainda mais fracos que o passado recente nesse capítulo, e curiosamente, ou não, Dias Ferreira apoia esta direção. Hábitos do passado que não mudam.

Mas voltemos às auditorias de gestão que, como sempre o afirmamos, deram origem a um real nada. Foi feito um autêntico auto de fé a todos os antigos de dirigentes. Foi criado este clima de divisionismo propositadamente, dividiu-se para reinar, e claro, sem direito a contraditório, todos foram facilmente acusados. Agora começa o processo inverso, o pedido de desculpas, o tentar limpar a cara da borrada monumental que foi feita.

É realmente de muito baixo nível e de gente sem caráter partir para este tipo de atuações. E se todos eramos a favor da Auditoria de Gestão em 2013, agora todos a devemos implorar e gritar por ela para auditar esta Direção. Existem processos muito dúbios, nomeadamente no aumentar loucamente o orçamento das modalidades, que nada ganham ao exemplo do passado, o aumentar loucamente o orçamento do futebol, que ganha muito menos que no passado recente, e claro, os honorários e comissões que tanta gente quer realmente descobrir e esclarecer.

Sobre Bruno, que sempre se pautou por ser um paladino da transparência, aguardemos que tenha a coragem que sempre se vestiu para avançar com essa Auditoria. Seria interessante avaliar e acabar de vez com os mitos sobre o Costa Aguiar, Nelson Almeida, e comissões ganhas por vários dirigentes e outros agentes na contratação de jogadores.

Até à data das Eleições muita tinta vai correr, muito se vai esclarecer, e quem sabe, esperamos todos que não, a Polícia Judiciaria e o Ministério Publico podem entrar em cena.

 

O maior espetáculo do mundo já começou!

Autoria e outros dados (tags, etc)


editado por Ivaylo a 25/2/17 às 12:15

05
Jan17

Eduardo-Barroso.jpg

 

 

Quantos Barrosos cabem na nossa inteligência?

Eduardo tem o condão de debitar asneira. Algo que nos acontece a todos quando cuidamos acreditar que sabemos muito sobre uma disciplina mas na realidade sabemos “bola”.

Eduardo Barroso e o futebol vivem este relacionamento. O Eduardo é assim, um grande médico, um péssimo opinador.

Ora vejamos:

«É um ódio mortal… Percebem que atacar Jesus é atacar Bruno de Carvalho, percebem que há eleições no Sporting… Há um complô para afastar o Sporting dos resultados desportivos e afastar Bruno de Carvalho da Direção do Sporting. É esse o objetivo maior, não é só ridicularizar e faltar ao respeito ao Sporting e dizer que Jesus afinal não é tão bom como se pensava e que foi bem corrido do Benfica. Querem afastar Bruno de Carvalho da Direção do Sporting»

 

O nível é raso, como o copo de whisky depois de bebido, mas o conteúdo muito mais fraco que um Vat69.

Ora ataca-se o Jesus para atacar o Bruno. Mas já atacaram várias vezes os treinadores do hóquei, do andebol, do atletismo, da formação,…

Enfim, há uma guerra contra o Bruno, esse rapaz que tanto prometeu e em quatro anos nada resolveu.

 

Mas agora há que manter a postura, jamais dar a mão à palmatória, mesmo que no silêncio da noite e na confiança dos amigos, as opiniões sejam as opostas ao que se diz para gáudio da opinião publica.

Mas o Eduardo não sabe quando já meteu água, ou gelo, e insiste e pede mais um balão e volta, num trago a meter água no whisky velho, ora vejam lá este exemplo democrático de um sobrinho do nosso Presidente Mário Soares:

«Os sócios do Sporting não se podem deixar enganar, seria uma atitude de grande sportinguismo reunirmo-nos todos à volta de Bruno de Carvalho», exortou Eduardo Barroso, para quem Pedro Madeira Rodrigues devia recuar na intenção de apresentar-se ao ato eleitoral agendado para março:

«Seria uma grande atitude de sportinguismo, até porque iria ter as mesmas dificuldades e não faria melhor.»

 

Que exemplo de democracia, de pluralidade. Eduardo, que vida seria a tua só com Cardhu? E o Bushmills, e tanto escocês que precisa de meter comida na mesa?

Realmente o Sporting está cheio de crianças na terceira idade. Veja-se a birra de “levar a bola para casa”, quebrando o empréstimo de Geraldes e Gauld ao Setúbal depois de, exemplarmente, termos levado mais um baile de bola de uma equipa que tem um orçamento menor que o investimento só no Elias! Para não falar que somos a bandeira da formação em Portugal e fomos eliminados porque tínhamos uma média de idades superior ao adversário.

Realmente este Sporting é de bater palminhas, fazer brindes, assinar a comissão de honra, dizer bem na cara, e vomitar ódio nas costas.

Eduardo Barroso é uma metáfora deste Sporting. Uma perdiz que vai andando à solta por Alvalade, um notável, ou melhor, The Famous Grouse, Famous for a Reason.

Autoria e outros dados (tags, etc)


editado por Ivaylo a 25/2/17 às 12:22

05
Jan17

cao (1).jpg

 

 

Ontem ocorreram dois factos gravíssimos no final do jogo com o Vitória Futebol Clube!

 

Uma grande penalidade inexistente foi assinalada 

Esta época ameaça tornar-se uma das mais negras em toda a História do futebol português, no que a arbitragem diz respeito. A acumulação de erros absolutamente ridículos que se têm verificado, em todos os sentidos excepto um, demonstra várias coisas.

 

Em primeiro lugar, é cada vez mais notório que a simples profissionalização não resolveu nada. Antes tínhamos amadores incompetentes e/ou corruptos e agora temos profissionais incompetentes e/ou corruptos. Ou seja, podemos colocar uma bata de médico num porco, mas não será por isso que ele passará a curar doenças…

 

Em segundo lugar, é inegável o controlo tirânico que neste momento o benfica exerce sobre toda a estrutura que organiza, nomeia e avalia os árbitros. Chegando neste momento o desplante a, não satisfeitos com o controlo da FPF e Liga, almejarem agora o controlo da Justiça Civil, como se testemunha no pedido de escusa do juiz que tem em mãos o processo que eles colocaram a Jorge Jesus. Se um dia será Luis Filipe Viera a promulgar leis por detrimento de Marcelo Rebelo de Sousa, só o tempo o dirá…

 

Por último, é cada vez mais óbvio que a resposta de Bruno Carvalho a este status quo é do mais ineficaz possível. Há quase quatro anos que somos brindados, numa periodicidade em alguns momentos diária, com comunicados e publicações no Facebook e entrevistas e… sempre a falar no mesmo assunto e com o mesmo alvo. Que resultados prácticos foram entretanto obtidos? O final do jogo de ontem fala por si. Não só não se regista qualquer vislumbre de melhoria na arbitragem, como o que acontece, acontece cada vez mais “nas barbas” de todos. Chega a ser patético! É como se um mendigo se queixasse com fome e alguém se colocasse em frente dele a saborear um croissant. A diferença é que provavelmente o mendigo aprenderia com essa experiência e não se voltaria a lamentar àquela pessoa. Mas Bruno Carvalho não, vê que a porta está fechada e insiste em tentar abri-la à cabeçada. Só não percebe que a porta é feita de aço.

 

Veja-se o exemplo do presidente do porto, que tem sido ainda mais prejudicado pela arbitragem esta época, mas até ao momento fez apenas uma declaração sobre o assunto. Poderão dizer que não tem moral para isso por já ter ocupado o mesmo papel no topo da pirâmide da corrupção, mas se ele estivesse preocupado com moral não tinha uma linha no seu CV referente à função de Papa… Porque insiste então em falar Bruno Carvalho?

 

Quando a penalidade foi assinalada estávamos empatados com o Vitória Futebol Clube 

Este facto gravíssimo não pode, nem deve, ser explicado com arbitragem!

 

Não foi o árbitro que contratou Jorge Jesus. Não foi o árbitro que contratou Petrovic e Bruno Paulista, que pelo facto de não serem opções sobrecarregam William Carvalho com minutos de jogo. Não foi o árbitro que contratou Elias, que só a sua anterior passagem pelo Sporting já deveria fazer corar de vergonha semelhante ideia, mas pior do isso é o seu rendimento e o facto de não ser 10% do jogador que é Adrien. Não foi o árbitro que requisitou o empréstimo de Markovic, jogador que até à data marcou um golo num ressalto e… mais nada. Não foi o árbitro que contratou Alan Ruiz, André e Castaignos, todos excelentes jogadores… para o Vitória Futebol Clube. Não foi o árbitro que achou que os defesas laterais que tínhamos no plantel seriam suficientes para ser competitivo em quatro provas (uma delas a Champions League…).

 

Não é o árbitro que insiste em colocar em campo jogadores que, ou por falta de qualidade ou de forma, nada acrescentam à equipa. Ontem, mais uma vez, sofremos um golo porque Jefferson não estava onde devia (nunca está). Não é o árbitro que se arroga de ser o supra-sumo da táctica mas depois a sua equipa apresenta um futebol básico e previsível. Não é o árbitro que se arroga de descobrir os melhores jogadores (que nem Mourinho conhece – Talisca) mas no Sporting, até ao momento, só “descobriu” Bruno César.

 

Gostaria de ver menos 100 comunicados sobre o benfica e 1 que respondesse aos temas dos parágrafos anteriores. Mas no Sporting Clube de Portugal de hoje, responsabilidade é uma coisa para se atirar aos outros, nunca para ser assumida por quem de direito.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D